Acidentes de trânsito e álcool



A destreza e outras habilidades necessárias para a direção, como a tomada de decisões, são prejudicadas muito antes dos sinais físicos da embriaguez começarem a aparecer. Isso porque, já nos primeiros goles, o álcool atua como estimulante e pode deixar as pessoas, temporariamente, com uma sensação de excitação. No entanto, as inibições e a capacidade de julgamento são rapidamente afetadas, aumentando a probabilidade de tomarem decisões equivocadas.


O tempo de reação e reflexos também sofre alterações, comprometendo ainda mais as habilidades necessárias para o ato de dirigir. Em altas doses, a bebida alcoólica pode também causar sonolência ou até mesmo ocasionar a perda da consciência ao volante.


Mulheres são mais vulneráveis ao álcool do que os homens

Os efeitos da substância em nosso corpo são duradores e não devem ser subestimados. Em média, o álcool é metabolizado a uma velocidade de 0,15 gramas por litro por hora. Por exemplo: uma dose de 0,2g/l (o equivalente a um copo de chopp ou cerveja, uma taça de vinho, meia dose de whisky ou cachaça) leva cerca de uma hora e meia para ser totalmente eliminada. Esse tempo varia de pessoa para pessoa.


Algumas pessoas acreditam que parar de beber ou tomar um copo de café podem torná-las aptas a dirigir com segurança. A verdade é que o álcool continua a afetar o cérebro, prejudicando a coordenação e capacidade de julgamento até mesmo horas depois da ingestão da última dose. Dessa forma, fica evidente que:

  1. Não existe maneira de acelerar a recuperação do cérebro após a embriaguez ou tomar boas decisões ao volante quando você já bebeu

  2. Bebida e direção formam uma combinação perigosa e fatal para qualquer quantidade de álcool consumida.

Portanto, se beber não dirija!


(Fonte: CISA – Centro de Informações sobre Saúde e Álcool; foto: Freepik)

0 visualização

Posts Relacionados

Ver tudo
Árvores na água
Clínica Espaço Village.png